Saltar navegación. Ir directamente al contenido principal

MI JUBILACIÓN RESPONDE

Estás en:

  1. Inicio
  2. Blog
  3. Artículo

Revisão dos pressupostos de projeções de população (2ª parte)

Segunda parte da revisão dos pressupostos de projeção referentes aos determinantes demográficos da organização internacional, dos institutos nacionais e da documentação académica por Mercedes Ayuso, Jorge Miguel Bravo e R. Holzmann.

Tiempo de lectura: 3 minutos

Compartir

Imprimir
Revisão dos pressupostos de projeções de população (2ª parte)

O equilíbrio demográfico, económico e financeiro dos sistemas de pensões (principalmente os sistemas de distribuição) depende, a cada momento, da existência de uma relação adequada entre o número de financiadores (trabalhadores contribuintes) e o número de beneficiários (pensionistas). Por isso, na análise do efeito demográfico sobre o sistema de previdência, tão importante quanto a evolução a médio e longo prazo da população é a distribuição da população por faixa etária, o que permite calcular a relação entre a população ativa e passiva.

Na análise do impacto das projeções demográficas sobre a estrutura da população de um país, indicadores como a mediana da idade e o rácio de dependência aos 65 ou mais anos são cada vez mais utilizados – old age dependency ratio - uma vez que refletem as mudanças que ocorrem na estrutura demográfica, consequência não apenas do aumento da esperança de vida mas também da fertilidade e dos movimentos migratórios. Os aumentos na mediana de idade e da taxa de dependência costumam ser sinônimo de uma maior dificuldade dos sistemas de pensões assentes em repartição para gerar os montantes necessários para financiar os gastos com o pagamento de reformas e pensões.

Neste documento comparamos os valores esperados destes indicadores de acordo com as mais recentes projeções populacionais dos organismos oficiais de estatística de Espanha e Portugal, pelo Eurostat e pela ONU em diferentes cenários, com os gerados a partir de projeções próprias para Espanha e Portugal, elaborado pelos autores usando métodos estocásticos e de simulação (baseado na metodologia de functional data approach e no método de Poisson-Lee-Carter). Estas projeções populacionais permitem-nos obter variantes mais distantes dos comportamentos centrais ou médios, tradicionalmente utilizados como base nos cenários projectivos.

Considerando os resultados das projeções feitas pelas diferentes organizações nacionais e internacionais, em todos os cenários analisados observa-se uma mudança de tendência no comportamento da idade mediana e do rácio de dependência para Espanha e Portugal em relação ao resto da Europa, revelando um envelhecimento comparativamente mais rápido da população dos dois países ibéricos. Tanto em Espanha como em Portugal, espera-se um crescimento rápido da mediana da idade e do racio de dependência, que pode prolongar-se até meados do século em alguns dos cenários considerados nas nossas projecções (ainda maior caso se mantenham os baixos níveis de fertilidade). No caso de Espanha, o cenário médio ou central revela números semelhantes aos obtidos pelo Instituto Nacional de Estatística, próximos aos projetados no cenário de baixa fecundidade pela ONU e pelo Eurostat.

O que se destaca nas nossas projeções é que a extensão das diferenças entre os cenários pessimistas e otimistas não é condicionado, como sucede com as estimativas de organizações nacionais e internacionais, por opiniões subjetivas relativamente às trajetórias prováveis dos componentes das mudanças demográficas. Isto significa que, na nossa opinião, a metodologia tradicional de construção de cenários populacionais utilizados por estas agências corre o risco de fornecer uma imagem errada sobre o provável futuro desenvolvimento e as diferentes variantes, atribuindo em alguns casos, insuficiente importância e noutros, importância exagerada aos cenários mais extremos de variação nos saldos de mortalidade, fertilidade e migração. No caso das projeções para Portugal, é claro que a maioria dos cenários considerados por organismos nacionais e internacionais é demasiado otimista em relação à evolução da estrutura demográfica da população portuguesa.

Ler o documento integral de Indicadores demográficos alternativos no cálculo das projeções de população em Portugal e Espanha (ESP) 

Suscripción al boletín del Foro de Expertos

El Foro de Expertos del Instituto BBVA de Pensiones edita, mensualmente, un boletín con las novedades más destacadas en materia de pensiones y jubilación. Suscríbete al boletín.

Suscríbete y recibe ahora el boletín del Foro de Expertos

Recogemos tus datos de carácter personal (Nombre/E-mail) con la finalidad de suscribirse al servicio de Newsletter, donde serás informado de las novedades o noticias de interés sobre las actividades que realizamos. Dichos datos serán incorporados a un fichero del que es responsable BANCO BILBAO VIZCAYA ARGENTARIA, S.A. (en adelante “BBVA”)

Conservaremos tus datos personales durante el tiempo de vigencia del servicio, o hasta que nos solicites la baja del mismo.

Buscador de documentos del Foro de Expertos

Fecha de publicación

Deja tu comentario

Utiliza el siguiente formulario para darnos tu opinión. La dirección de correo electrónico es necesaria para poder ponernos en contacto contigo, en ningún momento se publicará en este sitio web.

Recogemos tus datos de carácter personal (Nombre/E-mail) con la finalidad de hacer uso del servicio de Comentarios, dejándonos tu opinión personal. Dichos datos serán incorporados a un fichero del que es responsable BANCO BILBAO VIZCAYA ARGENTARIA, S.A. (en adelante “BBVA”)

Conservaremos tus datos personales durante el tiempo de vigencia del servicio, o hasta que nos solicites la baja del mismo.

Comentarios

Cargando...

No hay comentarios aún